CÂMARA MUNICIPAL DESCALVADO

Do Estado de São Paulo

Vaguinho sugere medidas para minimizar problemas com isolamento social

O vereador Vagner Basto (Republicanos) sugere ao Executivo medidas para minimizar os problemas e efeitos da diminuição e paralisação das atividades durante a pandemia do novo coronavírus nas áreas econômica e educacional.

Vaguinho defende a adoção de um plano de contingenciamento de gastos para o enfrentamento à pandemia objetivando reduzir os custos da máquina pública. “Gestores públicos devem estar atentos a este contexto e muitos deles já vêm adotando medidas a fim de minimizar os estragos financeiros à máquina pública”, afirma.

O parlamentar cita como exemplo o Estado de Goiás, que instituiu plano de contingenciamento para reduzir de 30% a 50% os gastos de cada Secretaria. “As regras valem para todos os órgãos, com exceção apenas para as áreas da Saúde e Segurança Pública, que são essenciais na luta contra a Covid-19”, pontua.

“A meta é não atingir os servidores públicos, mas sim reduzir materiais de almoxarifado, custos com energia elétrica, gás, água e despesas de custeio, além de combustíveis e materiais de consumo. Também fica proibida a celebração de novos contratos, exceto aqueles relacionados ao enfrentamento da emergência em saúde pública”, explica.

Educação

Vaguinho solicita à Secretaria de Educação e Cultura que ofereça cursos e palestras online aos professores da rede municipal neste período de paralização das aulas e também pós isolamento social.

De acordo com ele, “o ‘tempo livre’ dos professores em isolamento social poderia ser utilizado de forma estratégica para melhorias no ensino público, por meio da realização de cursos e palestras, que têm por objetivo capacitá-los ainda mais para os desafios das instituições escolares”.

Retorno

Ainda com relação à Educação, Vaguinho quer saber quais as estratégias e medidas serão adotadas para a volta às aulas, após o período de isolamento.

O parlamentar observa que estão sendo adotadas soluções de recursos digitais, como Educação à Distância (EAD). “Porém, por mais importantes que sejam no atual contexto, têm limitações e não atendem a todas as crianças e jovens da mesma maneira”, diz.

Para Vaguinho, “é necessário, desde já, formular planos para a volta às aulas com estratégias para combater a desigualdade educacional quanto novas e excepcionais demandas que surgirão, como o acolhimento emocional dos alunos e profissionais”.