CÂMARA MUNICIPAL DESCALVADO

Do Estado de São Paulo

Vaguinho questiona falta de abertura da segunda via na Avenida Antônio Garbuio

O vereador Vagner Basto (Republicanos) questiona a Procuradoria Geral do Município e a Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento, Obras e Serviços Públicos sobre os motivos pelos quais não foram realizadas obras para abertura da segunda via e pavimentação do trecho da Avenida Antônio Garbuio.

A via é de grande extensão, passando pelos bairros Bosque do Tamanduá, Alto do São Miguel e Alto da Boa Vista, mas falta completar a abertura e fazer a pavimentação de um pequeno trecho na altura do Bosque do Tamanduá.

“A Avenida Antônio Garbuio é muito importante para o bom funcionamento do trânsito, tendo em vista as empresas situadas naquele local. São indústrias, lojas de materiais de construção, oficinas mecânicas e supermercado, o que torna intenso o fluxo de caminhões e demais veículos de grande porte”, observa.

“Não bastasse o intenso fluxo de veículos, moradores da região também a utilizam para prática de atividades físicas, como corrida, caminhada e ciclismo”.

Rotatória

Vaguinho reivindica construção de uma rotatória no entroncamento da Avenida Independência com as Ruas Mario Joaquim Filla e Dr. Anastácio Viana para melhorar as condições de tráfego.

A Avenida Independência, segundo ele, no cruzamento com a Rua Mario Joaquim Filla, fica com o trânsito bastante confuso e, muitas vezes, os motoristas não sabem ao certo de quem é a preferencial, o que pode gerar colisões.

Isso porque, prossegue Vaguinho, “o trecho também dá acesso à Rua Dr. Anastácio Viana, portanto, é preciso tomar providências a fim de tornar o trânsito mais fluido nesse entroncamento”.

Contratação de Professores

Vaguinho sugere à Secretaria de Educação e Cultura a contratação de professores de português e matemática, complementando o quadro de docentes também para as aulas de reforço.

“Essas aulas de reforço são essenciais diante dos impactos e perdas dos alunos durante o período da pandemia em que as aulas foram remotas. Grande parte dos alunos não possui acesso à internet e equipamentos eletrônicos e, pelos mais variados motivos, não cumpriram com as atividades propostas pelas escolas, abandonando os estudos”, pontua.