CÂMARA MUNICIPAL DESCALVADO

Do Estado de São Paulo

Paulinho e Daniel destinam recursos para o Projeto Criança

Vereadores visitaram o Projeto Criança para o qual contribuíram com suas emendas impositivas

Por meio de suas emendas impositivas, os vereadores Paulinho Gabrielli (Cidadania) e Daniel Bertini (PMN), destinaram R$ 29 mil para aquisição de materiais esportivos e equipamentos para o Projeto Criança. Na tarde desta quarta-feira, 18 de dezembro, eles visitaram o Projeto. 

Foram comprados colchões, mesa para ginástica artísticas, rede para cama elástica, bolas e diversos outros materiais e equipamentos que serão utilizados pelos cerca de 900 jovens atendidos pelo Projeto Criança.

“É extremamente gratificante poder contribuir e ver os excelentes resultados que o Projeto Criança já produziu e continua produzindo. São 32 anos de um importantíssimo trabalho realizado pela Mineração Jundu em parceria com a Prefeitura”, afirma Paulinho.

Daniel observa que “é com grande satisfação que a gente acompanha e vê a excelência deste trabalho que é desenvolvido com grande competência e dedicação por todos os envolvidos; fico feliz de poder colaborar para melhorar ainda mais o Projeto Criança”, completa Daniel.

Projeto Criança

É um programa esportivo-recreativo-educacional dirigido a crianças e adolescentes entre 7 e 15 anos. O objetivo é evitar que os jovens fiquem expostos aos perigos que as ruas oferecem.

Criado pela Mineração Jundu em 1987, o projeto atualmente é conduzido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura por meio de parceria com a empresa e convênio de Cooperação Técnica com o SESI.

Totalmente gratuito, é um dos maiores programas esportivo/educacional da região. O Projeto Criança atende a cerca de 900 alunos no contra turno escolar. O programa abrange Atletismo, Futebol, Futsal, Tênis, Tênis de Mesa, Ginástica Artística, Jazz, Basquetebol, Voleibol, Handebol, Natação e Iniciação Desportiva.

Emenda Impositiva

A emenda impositiva, também de emenda cidadã, se baseia no artigo 1º da Emenda Constitucional 86/2015, que determina que os parlamentares podem apresentar emendas ao orçamento até o limite de 1,2% da receita corrente líquida, tendo que destinar, ao menos, 50% para investimentos na Saúde.