Debora sugere agilidade no atendimento de pedidos de licença do trabalho

Vereadora Debora Cabral

A vereadora Debora Cabral (PL) encaminhou ao presidente Jair Bolsonaro solicitação para a criação de uma força tarefa no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) específica para agilizar o atendimento aos pedidos de licença do trabalho, principalmente, no que tange a deficientes e idosos.

“Muitos cidadãos brasileiros, há mais de seis meses, entraram com pedido de afastamento do trabalho junto ao INSS e sequer foram chamados para perícia médica. É preciso mais atenção a esta camada da população. Essa espera é penosa para quem não está em condições de exercer suas funções plenamente”, pondera.

Casas

Debora sugere ao governo do Estado que elabore Projeto de Lei destinando, ao menos, 25% das casas da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) a funcionários públicos que recebam até três salários mínimos por mês.

A ideia, explica a parlamentar, é promover acesso à casa própria, uma vez que atualmente apenas servidores da área de Segurança Pública têm este direito.

“A redução do crédito para financiamento de imóveis, o desemprego em alta a partir dos anos de crise e a queda na renda das famílias tornaram o sonho da casa própria ainda mais distante para milhares de pessoas”, diz.

“A maior parte do déficit é formada por famílias que ganham até três salários mínimos por mês, mas a demanda por moradias também atinge consumidores de rendas intermediárias”.

Debora destaca que “o déficit habitacional atingiu nível recorde neste ano, estima-se que para suprir a demanda por moradia na próxima década, seria necessário construir 1,2 milhão de imóveis por ano”.

Apoio à Lava Jato

Debora encaminhou ofício a Dias Tóffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), e demais ministros da Corte solicitando total apoio à operação Lava Jato, desencadeada desde março de 2014.

Para ela, “a Lava Jato tem resgatado a dignidade de nosso país, condenando políticos e recuperando o dinheiro público desviado; a operação já se tornou um fato histórico, dada sua repercussão e as reações da população”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *