Debora solicita informações sobre manutenção de lousas digitais

Vereadora Debora Cabral

A vereadora Debora Cabral (PL) solicita que a Secretaria de Educação e Cultura informe quantas lousas digitais da EMEF “Thereza dos Anjos Puoli”, no bairro Bela Vista, estão em funcionamento e quantas estão quebradas.

Debora quer saber quais medidas estão sendo tomadas para que voltem a ser utilizados em benefício dos professores e alunos da unidade escolar.

“Algumas das lousas digitais da EMEF “Thereza dos Anjos Puoli” não estão sendo utilizadas porque não estão funcionando. O equipamento é uma ferramenta de grande relevância no processo de ensino/aprendizagem, sendo um instrumento que traz modernidade e eficiência ao trabalho dos professores”, aponta.

De acordo com Debora, “as lousas digitais custaram um valor elevado aos cofres públicos e devem receber manutenção periódica, para que sua duração seja longa e proveitosa”.

Rua Carlos Pulici

Debora solicita obras de infraestrutura e asfaltamento no trecho da Rua Carlos Pulici, que dá acesso às Represas Calmon e Rosário, que ainda não dispõe de tais benfeitorias.

“O trecho próximo à rua que dá acesso às represas Calmon e Rosário não dispõe de bueiros para escoamento de água, postes para iluminação pública, guias, sarjetas nem pavimentação”, observa.

“Isso prejudica o trânsito de veículos e pedestres, colocando em risco a integridade física das pessoas que se deslocam por aquela via todos dias”.

Pacote Anticrime

Debora solicita a Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, agilidade no processo para votação do pacote anticrime, assinado por Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública.

O pacote anticrime foi entregue ao Congresso em fevereiro deste ano e ainda está em análise, sem votação prevista no plenário da Câmara Federal.

“As mudanças foram organizadas em 19 objetivos, que visam atacar três questões centrais: a corrupção, o crime organizado e os crimes violentos. A aprovação do projeto será um grande avanço para o Brasil, no sentido de que a lei tem que estar acima da impunidade”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *