CÂMARA MUNICIPAL DESCALVADO

Do Estado de São Paulo

Daniel defende retorno do Viola na Praça

O vereador Daniel Bertini (Podemos) deefende o retorno do projeto Viola na Praça nas manhãs de domingo, durante a realização da Feira Legal, na Praça São Benedito, “com as devidas medidas de segurança necessárias para a prevenção da covid-19, respeitando o distanciamento social e uso de máscaras”.

Ele destaca que inúmeras atividades e segmentos já começam a voltar. “O Viola na Praça, que contava com a apresentação de músicos na concha acústica da Praça São Benedito aos domingos de manhã, ainda não retornou”, observa.

“Muitas pessoas sentem falta desta atração, que por ser ao livre não é considerada de alto risco para propagação do vírus. Inclusive, os equipamentos de som poderiam ser utilizados para passar mensagens reforçando as medidas de segurança que devem ser adotadas para evitar a disseminação do vírus”.

Rotatória

Daniel solicita à Prefeitura estudos visando a construção de uma rotatória na confluência da Rua Mário Joaquim Filla com a Avenida Independência.

 “A Avenida Independência é permeada por um canteiro central, sendo bastante larga e caracterizada pelo tráfego expresso de veículos. Nesse cruzamento, nas imediações da Desvel Veículos é comum a ocorrência de acidentes de trânsito”, aponta.

“É preciso tomar providências para disciplinar o trânsito naquele trecho, onde o fluxo de veículos é intenso, e tornar o trânsito mais fluido, já que muitos condutores ficam confusos ao chegar no entroncamento”, diz.

Remuneração

Daniel defende que a Secretaria Municipal de Saúde estude a possibilidade de remunerar integrantes do Conselho Municipal de Saúde (CMS) com, ao menos, um salário mínimo mensal.

O CMS é um órgão deliberativo na formulação e execução da política municipal de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros, nas estratégias e na promoção e controle social. É composto por representantes de usuários, trabalhadores de Saúde, da Administração e de prestadores de serviços de saúde.

Pela importância das atribuições e a atuação, Daniel entente que deve ocorrer a remuneração aos integrantes. “Apesar da grande relevância dos serviços que desempenham, os conselheiros não recebem remuneração alguma”, conclui.