Ricci sugere programa de combate ao caramujo africano

Vereador Sebastião José Ricci

O vereador Sebastião José Ricci (PP) sugere à Seção Municipal de Controle de Vetores a realização de um programa de combate contra os caramujos africanos que têm sido encontrados em diversas regiões da cidade.

“Apesar de não transmitir doenças, ele pode transmitir verminose e se tornar um problema de saúde pública se não for eliminado. O molusco é hospedeiro intermediário da meningite eosinofílica e da angiostrongylus abdominal, verminoses que podem se tornar graves e levar a óbito pessoa contaminada”, alerta.

Ricci aponta que “uma infestação de caramujos africanos está preocupando moradores de vários pontos da cidade, uma vez que a presença deste molusco tem molestado as famílias residentes próximas destes locais”.

O caramujo africano, conta, foi introduzido no Brasil na década de 1980 para ser utilizado como substituto do escargot, uma espécie tida como uma iguaria na França, mas não foi aceita pelos apreciadores e se espalhou pela natureza.

Hoje, o animal é tido como uma praga agrícola e urbana por se alimentar de plantações e infestar lugares onde há presença de lixo e mato.

“O controle do caramujo africano, como qualquer outra praga urbana, passa necessariamente pelo manejo ambiental, que seria a eliminação de abrigo e alimentação para ele”, explica Ricci.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *