Paulinho defende continuidade da Educação de Jovens e Adultos

Vereador Paulinho Gabrielli

O vereador Paulinho Gabrielli (PPS) defende que, em 2018, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura dê continuidade ao projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Ele tem informações de que o projeto pode ser interrompido no próximo ano.

“Hoje, a EJA é uma realidade, são atendidos em torno de 100 alunos, divididos em três salas de aulas, ou seja, a demanda é grande e não pode ser desconsiderada”, afirma. “Desde o começo do ano, a Secretaria se empenhou para a retomada do projeto, que é muito importante”.

De acordo com ele, “a volta do projeto EJA era uma solicitação constante da população descalvadense que tinha o anseio de voltar a estudar, porém de forma gratuita, auxiliando assim, na melhoria de sua qualificação para o mercado de trabalho”.

Para o vereador, “é de extrema relevância o Município oferecer mais uma oportunidade aos cidadãos que têm a vontade de estudar; a continuidade do projeto trará benefícios aos cidadãos e à cidade, que poderá oferecer mão de obra mais qualificada”.

Entidades Assistenciais

Paulinho encaminhou indicação ao Executivo solicitando que quando houver a devolução do duodécimo da Câmara Municipal, uma parte do  valor seja utilizado para pagamento do 13º dos funcionários das entidades assistenciais da cidade.

“As entidades assumem diversos papéis que caberiam o Poder Executivo conduzir, como assistir à família, à maternidade, à infância, à adolescência, à velhice, e promovendo ainda a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência dentre outros”, argumenta.

O parlamentar destaca que mesmo recebendo auxílio do Poder Executivo para manter os trabalhos, as entidades assistenciais “sempre necessitam realizar bazares, bingos, jantares, com o objetivo de arrecadar mais recursos, uma vez que o que recebem não é suficiente”.

Paulinho lembra que a Câmara Municipal sempre devolve uma grande quantia do que não gasta. “É de extrema importância a valorização contínua dos profissionais que atuam nas entidades assistenciais. São pessoas que acabam sempre fazendo mais do que apenas o seu verdadeiro papel”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *