Pastor Adilson sugere transmissão ao vivo das licitações da Prefeitura

Vereador Pastor Adilson Gonçalves

O vereador Pastor Adilson Gonçalves (PSC) sugere que os processos licitatórios de compra sejam transmitidos ao vivo pelo site da institucional da Prefeitura como forma de colocar em prática a transparência dos atos públicos.

Segundo ele, “atualmente os processos de compra realizados pelo Executivo são disponibilizados apenas na internet, porém sem a devida periodicidade”.

Pastor Adilson considera que com a transmissão ao vivo “existirá a máxima transparência, isonomia e eficácia dos processos que envolvem dinheiro público, oferecendo aos cidadãos a efetiva fiscalização e acompanhamento das ações governamentais”.

Pastor Adilson cita a Lei Federal nº 12.527/2011, a Lei do Acesso à Informação, cujo principio básico é o de que toda a população tem direito a obter informações públicas dos órgãos e entidades.

Antenas

Preocupado com os constantes problemas e falhas no sinal de telefonia móvel na Zona Leste, o vereador solicita ao Executivo que entre em contato com as operadoras para que instalem antenas para melhorar a recepção e utilização de telefones celulares naquela região.

O parlamentar cita os bairros Jardim Albertina, Ricardo César, São Cristóvão, Portal dos Coqueiros, Parque Milênio, Parque Vitória I e II e Conjunto Habitacional Professora Georgina Lefcadito Álvares.

“É muito falho o sinal de telefonia móvel nos bairros da região Leste, fazendo com que alguns moradores sofram diariamente com a falta de sinal nos aparelhos celulares. Muitos usuários precisam se locomover grandes distâncias de suas residências, para assim poderem realizar suas ligações”, afirma.

Animais

Pastor Adilson reivindica que o Executivo disponibilize um número de telefone para receber denúncias de maus tratos e abandono de animais, garantindo anonimato a quem denunciar.

O vereador lembra que abandono e maus tratos a animais é crime e seus praticantes precisam ser punidos perante a Justiça. “O problema é que muitas pessoas deixam de denunciar por não saber exatamente o que fazer quando se vê diante de um caso desses”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *