Daniel questiona demora no atendimento no Pronto Socorro

Vereador Daniel Bertini

O vereador Daniel Bertini (PMN) questiona os motivos da demora de até quatro horas para atendimento aos pacientes no Pronto Socorro durante o último final de semana. Ele relata ter recebido diversas reclamações de usuários sobre o problema. O pronunciamento do vereador foi feito na sessão ordinária de segunda-feira, 29 de outubro.

“São diversas reclamações de pais que levaram seus filhos com diarreias, virosas, com dor que tiveram que esperar entre três e quatro horas para serem atendidos. Quero entender o que acontece, de onde vem o problema, se é da empresa que contrata os profissionais, se é da Santa Casa ou se é da Secretaria Municipal de Saúde”, disse.

“É muita demora mesmo se considerarmos que é feita uma triagem para avaliações de riscos e gravidade para priorizar os atendimentos, principalmente quando se trata de crianças e idosos”.

Daniel frisou que “pode haver e é até normal que haja alguns atrasos na hora da troca do plantão ou no horário de refeição dos médicos, mas demora de três a quatro horas é demais”.

O parlamentar criticou a qualidade do atendimento. “Depois de tanta demora, as consultas acabam ficando parecidas com um benzimento. O médico mal pergunta o que o paciente tem ou está sentindo”.

Centro de Controle de Zoonoses

Daniel reivindicou ao Executivo a adoção das medidas necessárias para ativação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) por meio de parcerias com a iniciativa privada. “Os CCZ elaboram e organizam programas de treinamento, estágios, atualização e intercâmbio entre profissionais, inclusive atendendo a outros Municípios da região”, destacou.

Segundo ele, o prédio do CC está instalado em uma área de aproximadamente 400 m², com salas de recepção, sanitários, baias para cães e gatos, salas destinadas aos veterinários, para vacinação dos animais e controle de vetores.

“As obras do Centro de Zoonoses foram finalizadas no ano de 2013, porém até o momento não foram instalados os equipamentos necessários para que o lugar possa funcionar devidamente. Parados há tanto tempo, os materiais estão se deteriorando”, apontou.

Isenção do IPTU

Daniel cobra da Prefeitura que promova ampla divulgação da Lei Municipal n.º 2.667, de 22 de dezembro de 2008, que autoriza o Executivo a conceder isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) às pessoas portadoras de deficiências.

A lei determina que para ter direito ao benefício a pessoas com deficiência deverá ter renda máxima de dois salários mínimos, e residir no imóvel que receberá a isenção, além de ter o estado de deficiência comprovado por laudo médico. “Muitas pessoas não têm conhecimento da lei e das exigências para isenção do IPTU”, diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *