Daniel pede segundo médico nos horários de pico no Pronto Socorro

Vereador Daniel Bertini

O vereador Daniel Bertini (PMN) quer que a Secretaria Municipal de Saúde escale um segundo médico para atender à grande demanda apresentada nos finais de semana e horários de pico no Pronto Socorro (PS).

De acordo com ele, no último domingo, dia 17 de março, o PS estava lotado, com pacientes esperando por atendimento por mais de quatro horas e havia apenas um médico. Ao questionar os funcionários, soube que não havia nenhum plantonista para auxiliar o profissional que estava dando expediente.

“Tinha muita gente, havia casos de urgência e emergência para serem atendidos e casos menos graves, mas a espera era muito grande e outro médico só ia chegar às quatro da tarde”, relata.

Problemas

Daniel alerta que “as pessoas estão desassistidas, os postos de saúde dos bairros não estão dando conta e acabam encaminhando os pacientes para o PS, que só deve atender aos casos de urgência e emergência”.

O vereador afirma que “precisamos resolver esse problema o quanto antes, ou os postos de saúde dos bairros atendem melhor ou o PS não vai suportar”.

Daniel conta ter informações de que a Provedoria da Santa Casa já encaminhou projeto com a solicitação para a disponibilização de um segundo médico nos finais de semana e horários de pico e aguarda posicionamento da Secretaria de Saúde.

Outro problema apontado por Daniel é que o ar condicionado do Pronto Socorro, recentemente instalado por meio de emenda impositiva dos vereadores estava desligado sem que ninguém soubesse o motivo.

Moção de Pesar

Os vereadores aprovaram Moção de Pesar à Prefeitura de Suzano e para a direção da Escola Estadual Raul Brasil, manifestando solidariedade e lamentando profundamente a tragédia provocada por dois ex-alunos da escola que mataram 10 pessoas entre alunos e funcionários.

Container

Daniel reivindica que a Prefeitura regularize a utilização de containers para o armazenamento de materiais de construção em obras, visando proporcionar uma opção segura e barata aos construtores.

“É muito comum o construtor não fazer mais a casinha para guardar ferramentas e materiais na obra, pois ficou muito mais cômodo fazer a locação de container para guardar materiais de construção e suas ferramentas, otimizando o tempo gasto na mão de obra”, observa.

“Esse modelo de negócio de locação de container vem, a cada dia, ganhando mais mercado, se tornando um negócio inovador, próspero e em forte crescimento; porém, não existe na legislação atual autorização para a utilização dos containers, o que força alguns locais a utilizarem mesmo sem a devida legalização”, diz.

Isenção

Por meio de requerimento, Daniel solicita informações ao Executivo sobre qual o valor exato que é dado de isenção fiscal no Município que, para ele, é uma forma importante para incentivar mais investimentos privados no desenvolvimento da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *